quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O professor Xavier

Lobo Xavier disse agora na Quadratura do Círculo da SIC-Notícias que havia jornalistas à porta do escritório de advogados por altura das buscas realizadas recentemente. Parte logo para a conclusão lógica: a fuga de informação partiu obviamente do Ministério Público.

Podia partir, lá isso podia. Como podia partir do Juiz de Instrução Criminal e seus serviços. Como podia partir da Ordem dos Advogados e seus serviços, porque a busca teve de lhe ser comunicada expressa e antecipadamente. Como podia partir dos próprios buscados que é um escritório com dezenas de advogados, uma vez que ao contrário do que afirmou Lobo Xavier, não havia jornalistas lá, naquele momento, mas apareceram depois.

Lobo Xavier perdeu uma bela ocasião de estar calado ou mostrar que seria um pouco mais conhecedor destas coisas. Pelos vistos, não. Vai pela maralha da conversa de rua.

22 comentários:

Vasco Coelho disse...

E reparou nas imagens do BPP? Os magistrados e a pj a entrar com os jornalistas à porta....

Karocha disse...

Bingo...
O PM, está a a falar numa campanha negra, ele sabe lá o que isso é!

Miguel M. Ferreira disse...

Pois é...o Lobo Xavier deitou-se a advinhar! Algo que muitos fazem...inclusive por estas bandas...:)

Anónimo disse...

Saiu a martelo! Mas fascinante é a lavandaria do António Costa.

água na boca disse...

O caso já chegou a Espanha.
http://www.elpais.com/articulo/internacional/Socrates/fuego/elpepuint/20090130elpepiint_11/Tes

josé disse...

É verdade que por aqui, às vezes se colocam adivinhas. Mas é apenas para ver se há inteligência em acção...

E não se colocam advérbios de modo antes delas, tipo "obviamente" logo seguido da conclusão "que é assim"...

A dúvida é a mestra da vida de quem quer saber.

Tino disse...

Acabo de ouvir o Augusto SS a falar em «manipulação da imprensa livre».

A expressão até contém algo de verdade: «imprensa livre». Certamente estava a referir-se ao Público e ao SOL, o que resta da imprensa livre.

Já em relação ao DN e JN não se aplica o adjectivo. E começa a duvidar-se se o substantivo - "imprensa" - ainda se aplicará a estas espécies de folhas oficiais.

josé disse...

Onde é que o tipo disse isso? É que merece referência explícita.

O Santos Silva é o funcionário da voz do dono. Até acho graça porque acho também que o tipo não se leva a sério, mas interiorizou aquele papel de ópera-bufa: diz o que é preciso dizer, mesmo que a razão lhe diga que está redondamente enganado e que vai mentir.

Não mente, porque o papel dele é mesmo esse: camuflar a verdade que não agrada.

Santos Silva é inócuo a partir do momento em que se perceber isto.~

É inimputável para efeito de arrochada crítica e pessoal.

O Vital anda a porfiar por conseguir idêntico estatuto. A GOmes, essa já o tem há muito. É uma tola.

Anónimo disse...

A resposta de António Costa sobre se fazia ou não queixa à PJ se fosse abordado com a questão dos 4 milhões é muito interessante. No fundo ele corrobora o que alegadamente foi feito e apoia, nem sequer colocando esta como uma segunda opção. Isto, com o escândalo a decorrer! Portanto, se fosse por António Costa resolvia-se tudo dialogando, o que significa exactamente prescindir do que outros tinham pedido ou pedir também. Meter a polícia é que não, até porque não existe qualquer obrigação de um cidadão delatar crimes deste género, imagina ele. Foi pena ninguém ter tido a coragem de após determinada frase ter perguntado quem é que teve um papel alegadamente relevante quando alguém estava para ser preso, e se isso foi ou não uma campanha negra contra o normal decurso da justiça. Este PS está com uns tiques muito descarados.

carlos disse...

Este comentário devia ser sobre o post "aldrabices" um pouco mais abaixo, mas vai aqui mesmo.
A primeira aldrabice "oficial" foi aquela da implosão em Tróia; lembram-se da cara dele a fingir que estava mesmo a comandar a operação à distância? O que eu me ri na altura só de pensar o que ia na cabeça do Eng. Belmiro a levar um PM àquela cena da treta .

Tino disse...

José

O meu comentário, se o relógio estiver certo, foi feito às 13:28.

A esta hora estava a comer com o portátil ao lado. Devo ter ouvido o Augusto SS na Sic ou SicN. Mas não posso garantir que não tenha feito zaping para outro canal.

A expressão "imprensa livre" tem um vasto substracto. E na vida política do dito é um humus fedorento.

José

Se ouvir a peça outra vez, porei aqui os dados.

Tino disse...

José

Foi no âmbito desta notícia:

http://diario.iol.pt/politica/santos-silva-ministro-justica-freeport-assuntos-parlamentares-crime/1038050-4072.html

Mas não captaram esta parte.

Não consegui encontrar na Net nenhuma gravação para apanhar a frase da "imprensa livre".

Segismundo disse...

Afinal o homem está mesmo acima de qualquer suspeita...

http://downloadsexpresso.aeiou.pt/expressoonline/PDF/CartaRogatoriaFreeport_300109.pdf

Segismundo disse...

Devia ter saído isto, http:// downloadsexpresso.aeiou.p...port_300109.pdf

Anónimo disse...

Se percebi bem (fiquei anestesiado nos ouvidos) um senhor disse há pouco na SICN que mostrar as contas bancárias poderia ser interpretado como admissão de culpa! Estou a assumir que ouvi mal, mas de qualquer modo gostava de o partilhar.

josé disse...

O senhor José Sócrates está metido até ás orelhas nesta moscambilhice.

Fazer de conta que não, roça os limites da prevaricação e da denegação de justiça.

A senhora Cândida de Almeida devia por o lugar á disposição. Sair, já que se faz tarde.

Karocha disse...

Eu também Flash Gordo
Será que pagaram ao senhor?

Anónimo disse...

Já li a carta e só agora percebi que José Sócrates, diga-se em abono da verdade, poderá ter razão. Da minha interpretação o que se passou foi o seguinte.

O senhor Santos Silva tem tido pouca exposição pública e, vai daí, houve que encontar um tema que lhe proporcionasse mais antena. Para satisfazer essa necessidade alguém resolveu inventar uma campanha negra contra o PM José Sócrates, que assim proporcionaria o seu aparecimento. E assim foi, só que quem planeou isto tudo complicou demais e em vez de criar uma cabala ("Cruzada da Causa") incidindo sobre José Sócrates, criou um enredo com o envolvimento de 10 pessoas. Resultou que se enterraram 9 (nove) inocentes ingleses num crime para conseguir destruir Sócrates e ainda por cima esses ingleses, fanáticos das cabalas, declararam à Polícia de Londres que tiveram uma reunião com Sócrates em que foi pedido dinheiro. Assim, estes homens confessaram um crime pelo qual vão pagar com cadeia. Tudo para enterrar Sócrates. Ainda por cima foram dizer aos polícias que tiveram duas reuniões, a última das quais só com José Sócrates, que foi aquele onde alegadamente se pediu dinheiro. Foi tão bem elaborado que a PJ até detectou suspeitos movimentos em numerário. De facto, uma campanha negra com todo o requinte, não só humano como bancário.

josé disse...

Flash: o seu comentário vai para postal.

Anónimo disse...

Karocha,

Não sei, mas sinceramente (não estava a brincar) perguentei-me se estaria a ouvir bem.
Como terá reparado, houve até uma passagem em que se dedicou a defender o PM porque outros nobres juristas assim pensam.
Sobre os factos, nada!
E mais: desqualificação de tudo o que vem de inglaterra, como se qualquer informação não fosse válida para descobrir e apurar um crime. Isto é o filme do que se passará com esta nação durante os próximos 100 anos. Nunca sairemos disto.

Mas o melhor foram os comentadores caseiros: não acredito; ele é boa pessoa; eu gosto dele; ele é da minha terra e nós naquela terra somos todos boa gente; foi-me apresentado no lançamento do posto de saúde pelo meu primo (as teias de primos são quase sempre complicadas) e pareceu-me uma pessoa muito razoável; isto é tudo uma montagem. E coisas do género.

Karocha disse...

Muito bem analisado Flash Gordo!
Malandros dos bifes...

Karocha disse...

Ia-me dando um treco, Flash Gordo, já para não falar no penteado do homem.
Os meus rapazes, dizem que é penteado à dasse :-)))