quinta-feira, 8 de março de 2012

Os negócios do nosso Estado

Mensagem electrónica recebida. Vai conforme consta:

NO CASO LUSOPONTE OS POLÍTICOS NÃO ESTÃO A DISCUTIR O MAIS IMPORTANTE

DADOS OFICIAIS E JÁ PUBLICADOS

Custos da P. V. Gama em 1998 em euros. Em percentagem:
Fundo de Coesão da U.E.- 319.000.000,00- 35,6%
BEI- 299.000.000,00-33,3%
Portagens da 25 Abril- 50.000.000,00-5,6%
accionistas, etc- 229.000.000,00-25,5%
Custo Total da P. V.Gama = 897.000.000,00

Tendo em conta que os fundos da UE atingiram 319 milhões e outras receitas a quantia paga pela Lusoponte foi:

Custo total de 897 milhões - (319 milhões + 50 milhões) = Ou seja o custo real, em 1998, foi pouco superior a 500 milhões

Em 2010, num só ano, as receitas das portagens na (Ponte 25 de Abril + Ponte Vasco da Gama) atingiram quase 75 milhões de euros

O contrato vai durar 30 anos

SOBRE O CONTRATO DA LUSOPONTE

MAIOR ERRO FOI:

Mais grave foi o facto do contrato que o Estado Português assinou com a Lusoponte para a construção da Ponte Vasco da Gama, ter dado àquela empresa o direito de opção para a construção das novas travessias rodoviárias, entre Vila Franca de Xira e Algés-Trafaria, durante as próximas décadas. Tal acordo deixou o Estado português dependente, através de um contrato com uma empresa privada e, por esta razão, se a nova Ponte Chelas-Barreiro for rodoviária, o Governo terá que negociar prováveis indemnizações com a concessionária que ficou com o monopólio das travessias rodoviárias.
~
Os utentes da Ponte 25 de Abril revoltaram-se contra o aumento das portagens porque se recusaram a pagar uma nova ponte que nem sequer utilizam.

Quem assinou o contrato não defendeu os interesses de Portugal.

O OUTRO ERRO FOI A CONCESSÃO

O contrato da Ponte Vasco da Gama foi assinado em 1995, tendo o seu custo atingido um total de 897 milhões de Euros. Os fundos comunitários representaram cerca de 35% deste valor. Os comentários do Tribunal de Contas, relativamente ao financiamento desta ponte, foram os seguintes: “Só pelo facto do Estado ter prolongado a concessão 7 anos as perdas foram superiores a 1047 milhões de euros”.

Quem fizer as contas chegará à conclusão de que a infra-estrutura irá custar, no total, quase o triplo do custo original. Teria sido muito mais eficaz o Estado pagar a totalidade da obra através de um empréstimo e a amortização seria feita pelas portagens.

CONCLUSÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS

"Na verdade, afinal, o Estado concedente tornou-se no mais importante e decisivo financiador da concessão, sem a explorar."
.
VER RELATÓRIO DO TRIBUNAL DE CONTAS

Perante estes números e factos uma coisa é certa: os media tradicionais têm muita dificuldade em passar estes assuntos. Tirando a TVI ( Carlos Enes) ninguém pega no assunto. É como se não existisse. Saber quem foram as pessoas concretas que negociaram, onde estão, o que têm de seu e como fizeram carreiras, "agora não interessa nada".
Anas lourenços e companhia não querem saber disto. Porquê?
Ora porquê...se não sabem, por que perguntam?

6 comentários:

Carlos disse...

É a lusoroubalheira a que um rapazola lá da sua pocilga, chamou de "chafurdice"!

Assim vai Portugal, uns roubam, outros passam mal.

lusitânea disse...

Depois andam a extorquir o normal contribuinte, consoante as amizades e a montar radares-armadilha nas estradas para receberem as multas mais caras...só porque fizeram uma lei que os autoriza!
Se os não derrubarem vão amrgar as consequências decénios...

Zephyrus disse...

Gostam de servir. Perdoaram quase tudo ao anterior Governo e muito perdoarão a este. E o perdão não será maior porque não é a Esquerda que está no poder. Passos Coelho tem muitas «qualidades», é modernaço, apoia o aborto e os casamentos coloridos, é «jovem», tem «boa imagem», não é católico e diz por aí uns dogmas «liberais» que caem bem. Se fosse metrossexual, gay e da Esquerda moderna então a comunicação social estaria a dar pulos de alegria!

Zephyrus disse...

Lusitânea... nós já estamos tramados por muitas décadas. O país não tem cultura industrial ou financeira, o desastre que é a Educação está mascarado pelo facilitismo dos programas, a verdade sobre as universidades não é publicada na comunicação social! Não há qualquer Ordenamento, o património histórico e ambiental está a saque, e duvido muito que nos próximos anos a Banca aguente o malparado. O nosso futuro é a integração numa federação europeia ou o regresso à ditadura. A bandalheira começa a ser idêntica à que por cá houve na Primeira República. Basta ler alguns autores da transição da Monarquia para a República como Manuel Laranjeira.

Mani Pulite disse...

III REPÚBLICA PORTUGUESA-BRUTTI,SPORCHI E CATTIVI.ÚLTIMO LUGAR NO CAMPEONATO ECONÓMICO EUROPEU,PRIMEIRO CLASSIFICADO NA LIGA EUROPEIA DA CORRUPÇÃO.SPORT LISBOA E BENFICA-E PLURIBUS UNUM.NOS QUARTOS DE FINAL DA MAIS IMPORTANTE COMPETIÇÃO EUROPEIA DE FUTEBOL.

Floribundus disse...

só o José é objectivo
ninguém tem coragem de apontar nomes.
todos se ficam pelas generalidades.

os sectores primário e secundário não aguentam tanta bandalheira
e o peso morto de 50% de individuos sem qualificação
incluindo psicólogos, sociólogos e por aí fora