sexta-feira, 9 de março de 2012

Patrocínios há muitos...


Sobre os patrocínios a congressos de partidos, associações e sindicatos pode haver muito a contar. Até agora quase ninguém se lembrou de contar e recontar quem apoia quem. Pois bem: foi preciso o sindicato do MºPº ter feito o último congresso com apoios variados de bancos e seguradoras para cair o carmo e a trindade da hipocrisia política.
Tudo começou com o PS, que se sentiu atingido pelo que foi dito no congresso e gritou "mata!" Foi logo secundado pelo próprio PGR que apelou a que se esfolasse já o sindicato. Sintomático.

As notícias são estas:

Em declarações ao PÚBLICO, José Junqueiro, vice-presidente do grupo parlamentar do PS, manifestou a sua "estranheza" pelo facto de os magistrados do Ministério Público pertencentes ao sindicato se terem "sujeitado a ser patrocinados por entidades privadas". No seu entender, isso "não contribui para a transparência e para uma boa ideia da magistratura em Portugal" e "não abona nada para a confiança que queremos depositar" naqueles magistrados.

O procurador-geral da República, Pinto Monteiro, vai questionar os responsáveis do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) sobre as suas afirmações de que a Procuradoria-Geral de República (PGR) já organizou eventos patrocinados. "A PGR nunca pediu nem recebeu qualquer patrocínio", afirma Pinto Monteiro em declarações ao PÚBLICO.

A TVI acabou de mostrar um anúncio de uma iniciativa recente da PGR, particularmente do DCIAP, organismo que depende directamente do próprio PGR, e portanto implicando a PGR, naquilo que é inequívoco ser um patrocínio da CGD. O PGR Pinto Monteiro vai ter que se explicar. Até porque esteve presente na iniciativa e por isso mesmo não pode embatucar.

Não obstante, a preocupação do PS em denunciar apoios de bancos ao congresso do MºPº parte de uma ideia peregrina: a de que o MºPº, como investiga bancos não deve obter apoios de potenciais investigados. A lógica é implacável. Como também investiga membros do governo também não deve depender do Governo e por isso está agora amplamente justificada a ideia no sentido de o MºPº passar a ter completa autonomia económica e financeira. É assim ou não é? Iremos certamente ver o senhor Junqueiro a defender no Parlamento a completa autonomia do MºPº, financeira e tudo. É já a seguir. É que será mesmo já a seguir...
O partido socialista, por outro lado, enquanto partido no governo, com funções executivas, também tem os seus congressos. O dinheiro para esses congressos, como toda a gente sabe, vem todo dos seus militantes...e nada de nada das edp´s, pt´s e galps. É por isso que estes hipócritas podem escrever baboseiras destas.

Por outro lado, só agora se lembraram de rasgar as vestes e clamar pelo atentado à independência.
Na altura do congresso dos juíes não lhes ocorreu semelhante ideia. Porque terá sido? As dores então eram menores?
Quanto ao PGR vai ter de explicar melhor e lembrar o paralelo com a magistratura judicial...

7 comentários:

Floribundus disse...

estes gajos fazem-me lembrar a anedota contada por Ramada Curto em Coimbra 1955.
subia do 'Tórel' para o Chiado ao fim da tarde. diariamente cumprimentava um velhinho desdentado que usava a língua para outros fins.
um dia o dito velho mostrou-lhe uma bela dentadura postiça.
Curto dirigiu-se-lhe admirado:
'-então! botões novos na braguilha !'

hajapachorra disse...

Acho piada é alguém dispor-se a ouvir o José Adelmo Junqueiro, um zero á esquerda como ele próprio admite, o cacique típico que se torna 'docente universitário' sem saber ler nem escrever porque é do pêesse - claro, se fosse do peessedê ia dar ao mesmo - e que com isso se segura na política porque não se pode segurar em mais lado nenhum.

Luis disse...

Esta malta do PS continua a ser igual a si mesma... como sempre. São gato escondido de rabo de fora com muito medo que lhes pisem o rabo. Daí ter aquela rainha de ressonãncia que não quer (ou não pode) desamparar.

rita disse...

"Este país é um colosso, está tudo grosso, está tudo grosso"
http://www.publico.pt/Media/expresso-prescinde-de-cronicas-de-mario-crespo-apos-critica-violenta-ao-jornal-1537220#Comentarios

Colmeal disse...

Cá vai mais um exemplo de que não se deve cuspir no prato onde se come ...

O Mário Crespo não aprendeu nada com o falecido João Carreira Bom (que também foi dispensado por uma situação semelhante)

Miguel M. Ferreira disse...

sabemos bem as intenções do PS´s e dos PSD´s...não podemos é dar motivos para a critica.

Que fica mal os patrocínios ao congresso do MP...isso fica.

josé disse...

Fica, claro que fica. Ao MP e aos juízes, já agora.

Mas...o que fazer? Protestar e obrigá-los fazer congressos com menos despesas?

Parece que sim. Vou lutar por isso.

O verdadeiro super-juiz