terça-feira, 20 de março de 2012

Estas coisas não se inventam para chatear emigrados...

Sapo:

Ouvido como testemunha de acusação no tribunal do Barreiro, onde decorre o julgamento do caso Freeport, o advogado Augusto Ferreira do Amaral referiu que Manuel Pedro lhe confidenciou, em Janeiro de 2001, que José Sócrates exigia 500 mil contos e que estava "chocado" e "escandalizado" com a exigência do então ministro do Ambiente, revelando-lhe que um dos administradores do Freeport ia deslocar-se a Lisboa para tratar pessoalmente do assunto.

A testemunha, que disse conhecer Manuel Pedro desde os tempos em que este era aluno da Faculdade de Direito, disse ao colectivo de juízes estar convicto de que o arguido disse a verdade, porque estava a ser "espontâneo" e a gravidade do assunto não permitia outra atitude.

O que é espantoso neste tipo de declarações é surgirem a destempo, tipo flor sem tempo. Como cantava o artista "é dela o mundo, é a certeza de viver".

Com menos elementos que isto, o caso ballet rose fez furor na época e os envolvidos nunca mais foram nada na vida política. O que denunciou o escândalo, um certo Mário Soares, anda por aí, a defender criaturas inenarráveis e sugerir candidaturas presidenciais. E há outros notáveis, incluindo cronistas de prestígio tipo VPV a defender o defensor. Arre!

Aditamento: Já há desmentido. É assim:

"É absolutamente falsa esta alegada afirmação do arguido Manuel Pedro. É importante recordar que os arguidos neste processo estão a ser julgados por tentativa de extorsão, justamente por terem invocado falsamente pagamentos a responsáveis do Ministério do Ambiente para aprovação do projecto", disse esta terça-feira em comunicado o advogado de José Sócrates.

No documento divulgado por Daniel Proença de Carvalho, o antigo primeiro-ministro nega ter exigido os "500 mil contos", ao contrário do que foi alegado por Augusto Ferreira do Amaral no tribunal do Barreiro, durante o julgamento desta terça-feira de manhã.

De acordo com o advogado e antigo ministro do governo AD, Manuel Pedro, arguido neste processo e de quem é amigo há mais de 30 anos, deu-lhe conhecimento dessa exigência numa conversa em que estava "escandalizado" com o destinatário do pagamento das "luvas".

Quem conhece um e outro saberá distinguir a verdade da mentira? É de notar que o mentiroso será Manuel Pedro. Ou o outro. É escolher...

12 comentários:

Carlos disse...

Continuando com o mesmo artista. "E depois do adeus!..."

Lamas disse...

E não dá para extrair certidão?

Floribundus disse...

ninguém informa o pgr das declarações?

Mani Pulite disse...

Primeiro estranhou-se.Depois entranhou-se.A corrupção em Portugal é um cancro generalizado.As metástases estão por todo o lado por vezes nos locais mais imprevísiveis.

Carlos disse...

...enquanto isto, a ministra parece que anda entretida e quer prender os mentirosos.
E porque não manda prender já (calma! caso se prove), os que, para além de mentirosos, roubaram os cofres do país?

rita disse...

Este advogado é da família do ministro anterior?

josé disse...

É irmão. E é monárquico.

rita disse...

Parece que começo a vislumbrar uma "luz ao fundo do túnel" :-)))

rita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Há dias, ao fim de semanas de notícias, não sabia que tinha de vir a portugal testemunhar. Agora, reage em minutos. O coxo apanha-se depois.

rita disse...

Eu tive 6 anos... os mais horríveis da minha vida, para saber quem é mentiroso e quão mentiroso se pode ser!

hajapachorra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

O Espírito pecador