sábado, 14 de maio de 2011

A intrujice que ninguém consegue desmontar

Francisco Louçã, em entrevista à revista Única no Expresso de hoje:

"Sócrates é um homem que chega ao ponto de ser capaz de fazer uma prè-inauguração do Hospital de Braga, ao lado do representante da família Mello ( que vai gerir , durante trinta anos, o Hospital de Braga) e defender o Serviço Nacional de Saúde, apesar de estar a entregar um hospital público a um dos maiores grupos privados na saúde. É verdade que hoje o PSD é um partido mais agressivamente liberal, mas tem pela frente um PS que não propõe a privatização da CGD do sector bancário mas propõe a privatização total do sector de seguros, que é um terço das receitas da Caixa. A diferença que há hoje é entre um PS que quer tirar um terço da CGD e um PSD que quer tirar metade."

Este discurso e mensagem não passam nas tv´s que temos. Por alguma razão, o PS tem mais de trinta por cento de intenções de voto nas sondagens.

13 comentários:

josé disse...

Há efectivamete uma censura na comunicação social que visa beneficiar o PS, gostaria de ver um comentário seu á absolvição do médico psiquiatra de que tanto se tem falado,no aspecto da alteração legislativa que foi efectuada aos crimes sexuais em que contexto e porquê.

zazie disse...

Por acaso estive a ler agora, com mais tempo, o acórdão e nem sequer é absolvição.
Houve julgamento e condenação, depois seguiu-se recurso para a relação e agora é o MP que quer recorrer e vai ao supremo.

Tecnicamente não percebo corno de lei mas li o acórdão e, ao contrário de Helenas Matos que apenas repetem títulos de jornais, nada daquilo é claro.

Aliás, a parte que não é clara nem aconteceu no dia da queixa á polícia e exame médico no hospital.

Quanto a mim, a parte aberrante da treta andou a acontecer e é bem capaz de acontecer em muito mais lados e era aceite pela rapariga de 30 anos, tida por natural pela mãe e só faltou o marido concordar.

Para se tratar uma depressão, o psiquiatra usava uma nova técnica importada da Suiça: masturbava a rapariga, tirando-lhe a roupa.

A mãe chegou mesmo a perguntar a uma médica se seria normal e a médica, de acordo com a fezada no bruxedo da "Ciência" disse que sim. Que na Suiça já se usava isso.

Portanto, tudo o resto que se passou, veio no seguimento desta anormalidade em que todos entraram.

zazie disse...

O recurso interposto pela dita violada tinha apenas a ver com o montante a receber pelas ofensas.

Ele foi condenado a pagar 30 mil euros e ela recorreu pedindo 100 mil e o tipo também interpôs recurso, e é no seguimento desse recurso que não se considera ter havido violação, mantendo-se a pena suspensa e a indemnização de 20 mil euros.

josé disse...

Ok. Estava a evitar porque conheço a desembargadora, mas vou comentar na front page.

zazie disse...

Fico à espera porque já me fartei de rir com as citações do Wittgenstein a propósito, do "malandro, violaste-me!" por SMS.

E a tal terapia suiça sem recibos, a 82 euros por sessão, 2 vezes por semana, num T1 que é casa do quarentão divorciado que nem tem funcionários para a "clínica" é o máximo.

Floribundus disse...

o problema dos índios deste rectângulo reside no facto de serem 'novos-ricos' e não aceitarem ser 'novos-pobres'.

sabem que o pm é mentiroso e julgam-no incapaz de retirar regalias.

zazie disse...

Este detalhe da terapia suíça e da clínica que nem passa recibos não entrou no processo.

E nem fez parte da queixa, pois, como é óbvio, o marido então ainda ficava pior do que já estava no caso.

Mas, eu não sei é o que faz a Ordem médica perante estas declarações em tribunal que até foram confirmadas pelo psiquiatra catedrático que serviu de testemunha do psicotonto.

Wegie disse...

Que estória...só lhe falta a faca e o alguidar.

Wegie disse...

Zazie o Acordão está na net?

josé disse...

O acórdão está no sítio da dgsi e está linkado no postal que escrevi sobre o caso.

zazie disse...

Porque é que no In Verbis havia gente a dizer que o acórdão não devia ter sido publicado antes de terminar o processo?

josé disse...

Também está lá explicado: porque a publicação na dgsi é para efeitos "académicos"...ahahahah!

zazie disse...

ahahhahahahahaha

O jornalismo sério do Governo