sábado, 21 de maio de 2011

Pinto Monteiro "perdeu"

As 27 perguntas formuladas pelos procuradores do Freeport, e que o actual PGR disse nunca ter visto num despacho de inquérito (!) originou um processo disciplinar com este corpo de delito:

[Os procuradores] "não foram capazes de prever que iriam prejudicar gravemente a imagem de isenção e independência de Pinto Monteiro, ao incluírem no despacho final do inquérito as 27 perguntas que, por falta de tempo, não puderam ser enviadas a Sócrates e por este respondidas."

Afinal, o CSMP ontem em reunião, entendeu que não se justificava qualquer punição disciplinar aos magistrados em causa e arquivou o processo. Pinto Monteiro é apontado nos jornais de hoje como tendo "perdido". Perdido anda há muito.

PS. Entretanto, o Público de hoje ( voltei a reincidir no vício) conta a história de uma juíza estagiária que foi alvo do furto de uma carteira com objectos pessoais , no edifício onde funciona o tribunal de Família e Menores do Barreiro( o Público até especifica que se trata de uma carteira Furla-não é das mais caras...) e que participou o facto ao MºPº local que imediatamente emitiu mandados de busca para todo o edifício do tribunal que foi encerrado durante algum tempo, o suficiente para algumas dezenas de agentes policiais fazerem a busca no edifício. A busca, naturalmente, parte do princípio de que há suspeitas de a autoria do furto ser "gente da casa". 80 funcionários e duas dezenas de magistrados.
Não sei sinceramente se esta diligência releva de bom senso. Por vários motivos. A única justificação é existirem suspeitas fundadas sobre funcionários e magistrados ( parece que estes foram poupados ás buscas)...
Fui testemunha de alguns casos semelhantes, particularmente de furtos ocorridos no interior de gabinetes de magistrados. Nunca ocorreu a nenhum deles fazer uma coisa destas, até porque entenderam todos, sempre, que os furtos eram da autoria de artistas de fora que tinham acesso à casa. E por isso conformaram-se com o habitual inquérito contra desconhecidos para arquivar quase liminarmente.

4 comentários:

Floribundus disse...

neste fascismo há imensos pintos a querer 'cantar de galo': monteiro, marinho, costa, etc
vivem todos abrigados debaixo da asa protectora da 'galinha mâe', animal sempre feroz.

lembra-me a 1ª catlinária de Marco Cícero (por vezes confundido com o irmão)
'quousque tandem catilina abutere patientiam nostram'

Mani Pulite disse...

UNS ESPERAVAM GODOT.OS PINTOS ESTÃO À ESPERA DE SEREM ENVIADOS PARA A GUIA DEPOIS DE 5 DE JUNHO.

Wegie disse...

Mas o "mexilhão" o Carlos Santos Monteiro também se lixou...

josé disse...

Pois foi. Mas tem sempre o Administrativo para recorrer... e sabe o que a casa gasta porque trabalha lá.

A viagem da Apolo 11 nos media